Lajes em EPS

O EPS (Isopor) vem revolucionando e maximizando sua utilização na construção civil, entre suas principais características estão, a alta resistência mecânica e a baixa densidade, substituindo com vantagens os materiais, como lajotas cerâmicas ou de concreto.

Fabricadas de acordo com as necessidades de cada projeto, o EPS trás a liberdade para engenheiros criarem dimensões e projetos flexíveis sem dificultar a execução de uma obra.

Vantagens das Lajes em EPS

  • Baixa densidade em média 10Kg/m³ (peso da cerâmica 800Kg/m³).
  • Redução no peso da laje.
  • Alívio das cargas e redução das vigas, pilares e fundações.
  • É capaz de vencer grandes vãos.
  • Inter-eixos maiores, gerando economia de aço e concreto.
  • Redução no tempo de montagem em até 50%.
  • Economia de transporte (diesel, carregamento e descarregamento).
  • Não necessita mão de obra especializada.
  • Fácil instalação de caixas, conduítes e tubulações.
  • Elimina perda de nata de cimento.
  • Elimina quebra de peças.
  • Mais segurança, evitando ferimentos por peças quebradas e acidentes gerados por queda de peças.

Lajes industrializadas

As lajes industrializadas não deixam de ser lajes nervuradas, porém pré-fabricadas. Há dois tipos de lajes nervuradas industrializadas:

  • Laje nervurada pré-fabricada unidirecional
    • Laje nervurada pré-fabricada unidirecional usa tradicionalmente como elemento de preenchimento de vãos entre nervuras, tijolos cerâmicos ou blocos de concreto. Ambos têm participação significativa no peso próprio da laje. Além disso, permitem perdas na quebra de elementos com consequente vazamento de concreto. O uso do EPS substituindo esses materiais muda completamente esses aspectos negativos além de reduzir sensivelmente a mão de obra e o entulho na montagem das lajes.

      A segunda já é uma concepção recente, usando o EPS como elemento de preenchimento entre nervuras. Permite vencer grandes vãos com lajes delgadas, econômicas e bem resolvidas estruturalmente. Calculando-se as lajes industrializadas com o uso do EPS como elemento de preenchimento dos vãos, o alívio de peso próprio fará com que o dimensionamento das mesmas às torne mais econômico além de permitir redução no dimensionamento do restante da estrutura.

      O EPS pode ser fornecido já como peça pronta, geralmente no comprimento de 1 metro com a seção necessária à laje que se vai montar. Seu corte é fácil e os pedaços eventualmente cortados servirão para uso na mesma laje, com perdas quase nulas. A colocação se faz do mesmo modo que os blocos cerâmicos com muito menos esforço e com o transporte interno na obra bem mais rápido, o que permite uma economia de mão de obra de quase 50%. Na concretagem não há quebra de blocos e as juntas são tão justas que a nata de cimento não vasa. Com isso a superfície inferior da laje fica limpa e bem plana permitindo um revestimento com menor consumo de argamassa. Recomendamos porém um chapisco prévio aditivado com emulsões a base de acrílico ou PVA.

  • Laje nervurada bidirecional
    • Generalidades

      Nos edifícios de vários pisos, as lajes correspondem por elevada parcela do consumo de concreto. No caso de lajes maciças, esta parcela chega usualmente a quase dois terços do volume total da estrutura. Por esta razão, e pelo fato de as lajes possuírem baixo fator de eficiência, torna-se oportuno o estudo aprofundado dos critérios de escolha dos tipos de laje a serem empregadas nos edifícios de múltiplos andares, tendo em vista a obtenção de soluções técnicas e economicamente otimizadas.

      No projeto estrutural, a concepção das lajes de respeitar as peculiaridades da construção a ser realizada, considerando simultaneamente os meios técnicos disponíveis para que a concepção adotada possa ser materializada de modo racional.

      As lajes nervuradas constituem em uma evolução natural da laje maciça, resultante da eliminação da maior parte do concreto abaixo da linha neutra, o que permite o aumento econômico da espessura total das lajes pela criação de vazios em um padrão rítmico de arranjo. Forma-se assim um sistema estrutural altamente eficiente, constituído por um conjunto de nervuras dispostas em uma ou duas direções, com espaçamentos regulares entre si.

      As lajes nervuradas foram idealizadas para se ter alívio do peso próprio da estrutura e um aproveitamento mais eficiente do aço e do concreto.

      Embora estas vantagens fossem reconhecidas já há bastante tempo, o meio técnico sempre apresentou resistência a seu emprego, principalmente em relação às lajes nervuradas bidirecional, em virtude do alto consumo das fôrmas necessárias à sua execução. Hoje, porém, este panorama está totalmente modificado. O desenvolvimento tecnológico que levou a criação de novos materiais, como as armaduras treliçadas e os blocos leves de EPS, tornou o emprego das lajes nervuradas uma solução espontânea para a concepção das estruturas dos edifícios de múltiplos pisos, em virtude das qualidades técnicas e econômicas que estas lajes apresentam.

Download Folheto das lajes em EPS (como montar)